15 de jan de 2011

Tragédia no RJ passa de 800 Mortes por DESCASO POLÍTICO de LULA e do PT.

O País já viveu 37 enchentes, em apenas dez anos. É um número enorme e mostra que os problemas das chuvas estão se tornando cada vez mais frequentes no País. As chuvas são fenômenos naturais. Mas essas pessoas morreram, porque não têm peso político algum e não há vontade política para resolver seus dramas, que se repetem ano após ano. 
 "O Brasil não é Bangladesh e não tem nenhuma desculpa para permitir, no século 21, que pessoas morram em deslizamentos de terras causados por chuva." O alerta foi feito pela consultora externa da ONU e diretora do Centro para a Pesquisa da Epidemiologia de Desastres, Debarati Guha-Sapir. Conhecida como uma das maiores especialistas no mundo em desastres naturais e estratégias para dar respostas a crises, Debarati falou ao Estado e lançou duras críticas ao Brasil. Para ela, só um fator mata depois da chuva: "descaso político."



ENQUANTO  LULA,o  ex-presidente que mais mentiu, em férias em instalações da base militar de forma ilegal, assim como passaportes  especiais (diplomáticos) foram ilegais para seus filhos e netos , assim como quase tudo que fez na vida foi ilegal, está mijando,  e a ex-guerrilheira Dilma, hoje Presidenta deste Pais, juntamente com o reeleito Governador pelo RJ, que já fez abortos, estão comemorando a conquista do campeonato do ano passado pelo Fluminense, a tragédia se acumulava e nada era feito, assim como durante os 8 (OITO) ANOS QUE ESTEVE NO PODER. 
 Custa caro se preparar?
Não. O Brasil é um país que já sabe que tem esse problema de forma recorrente. Portanto, não há desculpa para não se preparar ou se dizer surpreendido pela chuva. Além disso, o Brasil é um país que tem dinheiro, pelo menos para o que quer.
." O Brasil praticamente só tem um problema natural e não consegue lidar com ele. Imagine se tivesse terremoto, vulcão, furacões..."
"O Brasil não é Bangladesh e não tem nenhuma desculpa"
Jamil Chade - O Estado de S.Paulo
15/01/2011
Centro de prevenção a desastres há dois anos não sai do papel Amanda Costa
Do Contas Abertas
Há dois anos, o Ministério da Integração Nacional tenta viabilizar a construção do Centro Nacional de Gerenciamento de Desastres (Cenad), que acumulou ao longo deste período orçamento de R$ 2,6 milhões e poderia minimizar os danos provocados pelas chuvas com o monitoramento dos riscos. Nenhum centavo, no entanto, foi liberado para o projeto, segundo o ministério, “por conta de dificuldades relacionadas ao terreno que vai abrigar o departamento em Brasília”
Veja a tabela aqui: http://contasabertas.uol.com.br/website/noticias/arquivos/401_cenad%20_serie%20historica_2004%20a%202011.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário